• home8
  • home11
  • home7
  • home12
  • home15
  • home2
  • home3
  • home1
  • home14
  • home6
  • home9
  • home5
  • home10
  • home13
  • home4
  • home
Jun. 01
TINK, um espaço para pensar com as mãos
32721362_2256233841069815_3808917469293182976_o

TINK - um espaço para pensar com as mãos - é a nova valência do Centro Integrado de Educação em Ciências (CIEC), da Escola Ciência Viva de Vila Nova da Barquinha, que foi ontem à tarde inaugurado, perante a comunidade escolar.

A cerimónia decorreu integrada no evento III Mostra "Barquinha de experiências, Barquinha de vivências", uma iniciativa que decorre até este sábado, 19 de maio.

Ana Rodrigues, responsável pelo CIEC, explicou que o objetivo do espaço é estimular a lógica de construção em conjunto, no sentido de promover atividades familiares.

"Este espaço surge no âmbito do movimento Maker" em que a partir de vários objetos é possível "construir pontes, aviões, circuitos" ou até, através de uma "máquina transformar garrafas de plástico em fio e depois tecer e fazer por exemplo vasos para fornos de suporte às nossas refeições". Tudo isto "numa lógica de construção em conjunto, numa aposta intergeracional".

Ana Rodrigues inaugurou o espaço com o presidente da Câmara, Fernando Freire e os alunos

O TINK vai estar disponível no horário de funcionamento do CIEC, logo aberto também ao fim de semana, e, portanto, pode ser utilizado por toda a família, onde se pode construir projetos e levá-los para casa.

"É uma promoção da literacia científica, porque ao fazermos estes projetos estamos a desenvolver competências científicas", referiu Ana Rodrigues, tendo lembrado que o CIEC trabalha "uma ciência que seja para todos e que todos nós consigamos perceber a importância do que é aprender ciência desde cedo".

O TINK surgiu assim para preencher mais uma competência do CIEC que já dispunha de "vários módulos interativos, que podiam ser explorados em família", mas que ainda não tinha "a vertente da construção de um projeto em conjunto, mais duradouro, que eventualmente pode ser iniciado num dia e ser terminado noutro dia".

"Não queremos somente apostar no envolvimento inicial do visitante, mas também no envolvimento prolongado", fez notar a responsável.

Presente na cerimónia, Paulo Jorge Ferreira, Reitor da Universidade de Aveiro - entidade parceira, disse aos jornalistas que estava perante "centro de classe mundial", referindo-se ao CIEC.

"Os senhores têm aqui em termos de arquitetura, de organização de espaço, de conteúdos e métodos de ensino, uma experiência que é inovadora e de classe mundial", vincou o reitor.

Fernando Freire e Paulo Jorge Ferreira com os alunos do CIEC

Em declarações à Antena Livre, Paulo Jorge Ferreira lembrou que os alunos que hoje estão no CIEC poderão ser os estudantes da Universidade de Aveiro em 2030.

"Os estudantes que vão entrar em 2030 estão hoje aqui, com 6 anos, ou seja o que determina o futuro das universidades em 2030 está hoje a acontecer aqui. Portanto, é muito interessante estar a ver com 12 anos de antecedência o que está a acontecer aqui. E fico muito esperançado que o futuro seja bastante diferente do que é o presente", salientou o reitor, recordando o trabalho de parceria da Universidade de Aveiro com o CIEC desde 2006.

"É um grande orgulho e satisfação que estamos associados a este centro de excelência", finalizou.

Fernando Freire, presidente da Câmara Municipal, fez alusão à Mostra "Barquinha de experiências, Barquinha de vivências", que já vai na sua terceira edição, e que no entendimento do autarca está em "crescendo".

O presidente também lembrou o trabalho de parceria com a Universidade de Aveiro e fez referência a novas áreas que se podem explorar, nomeadamente a "robótica".

Fernando Freire considerou que "é muito importante" que os alunos do CIEC "se sintam felizes, que vivam a escola, que a vivifiquem", pois para o autarca "isso que é fundamental nos dias de hoje".

"Com alegria, com entrega e a colaboração de todos podemos ir mais além e formar os cidadãos de amanhã", reforçou o presidente.

Após a inauguração do TINK, seguiu-se uma demonstração de danças, teatro e várias experiências científicas levadas a cabo pelos alunos.

No decorrer da tarde foi também possível visitar a III Mostra Barquinha de experiências, Barquinha de vivências, que vai estar disponível até amanhã, no CIEC.

Recorde-se que o Centro Integrado de Educação em Ciências [CIEC] é parte integrante de uma escola inovadora do 1.º Ciclo do Ensino Básico [CEB] de Vila Nova da Barquinha.

O CIEC materializa-se na criação de um espaço de educação não formal de ciências dentro de uma instituição de educação formal, e na criação de um laboratório de ciências concebido especialmente para realizar atividades práticas de ciências no âmbito da educação formal, para o 1.º CEB. Trata-se de uma inovadora perspetiva de organização da educação em ciências, integrando o formal e não formal.

JMC | 2018-05-18 | Antena Livre
Disponível em https://www.antenalivre.pt/noticias/vn-da-barquinha-tink-um-espaco-para-pensar-com-as-maos-e-a-nova-aposta-do-ciec/?fbclid=IwAR2TrlvLkMm3kP0khSl8dgKJYSssbB4sTArZqB7M0TJD9tYE4tJ8EdROBKQ